18 de maio de 2018

CLÁSSICOS DA MÚSICA CATÓLICA - GRANDES SUCESSOS.

 
CLÁSSICOS DA MÚSICA CATÓLICA
(CLICAR NA IMAGEM PARA OUVIR-LOS)
 
 

 
OU CLICAR NO LINK DO CANAL YOU TUBE
 

TUUS TOTUS EGO SUM, ET OMNIA MEA TUA SUNT. GRANDE CONFIANÇA EM DEUS E EM MARIA.

 
 
 
 
 
4º A Santíssima Virgem vos encherá de grande confiança em Deus e nela: 1º porque não vos aproximareis mais de Jesus Cristo por vós mesmo, mas sempre por intermédio desta bondosa Mãe; 2º porque, tendo lhe dado todos os vossos méritos, graças e satisfações, para que deles disponha à sua vontade, ela vos comunicará suas virtudes e vos revestirá de seus méritos, de sorte que podereis dizer confiantemente, a Deus: “Eis Maria, vossa serva: faça-se em mim conforme a vossa palavra: Ecce ancilla Domini; Fiat mihi secundum verbum tuum” (Lc 1, 38); 3º porque, desde que vos destes a ela inteiramente, de corpo e alma, ela, que é liberal com os liberais, e mais liberal que os próprios liberais, dar-se-á a vós em troca, e isto de um modo maravilhoso, mas verdadeiro; assim podereis dizer-lhe ousadamente: “Tuus sum ego, salvum me fac! – Eu vos pertenço, Santíssima Virgem, salvai-me!” (Sl 118, 94) ou, como já disse (cf. no 179), com o discípulo amado: “Accepi te in mea” – eu vos tomei, Mãe Santíssima, como todo o meu bem.
 

 
Podereis ainda dizer com São Boaventura: “Ecce Domina salvatrix mea, fiducialiter agam, et non timebo, quia fortitudo mea, et laus mea in Domino es tu…” [81] e em outro lugar: “Tuus totus ego sum, et omnia mea tua sunt; o Virgo gloriosa, super omnia benedicta, ponam te ut signaculum super cor meum, quia fortis est ut mors dilectio tua [82] – Minha querida Senhora e Salvadora, agirei com confiança e não temerei porque sois minha força e meu louvor no Senhor… Sou todo vosso, e tudo que tenho vos pertence; ó gloriosa Virgem, bendita sobre todas as coisas criadas, que eu vos ponha como uma marca sobre meu coração, pois vossa dileção é forte como a morte!” Podereis dizer a Deus com os sentimentos do profeta: “Domine, non est exaltatum cor meum, neque elati sunt oculi mei; neque ambulavi in magnis, neque in mirabilibus super me; si non humiliter sentiebam, sed exaltavi animam meam; sicut ablactatus est super matre sua, ita retributio in anima mea (Sl 130, 1-2) – Senhor, nem meu coração nem meus olhos têm motivo para se elevar e ensoberbecer, nem de buscar coisas grandes e maravilhosas; e mesmo assim, ainda não sou humilde; mas elevei e encorajei minha alma pela confiança; sou como uma criança, afastada dos prazeres da terra e apoiada ao seio de minha mãe; e é neste seio que sou cumulado de bens.
 
 
 
 
 
 

 
4º O que aumenta ainda vossa confiança nela é que, tendo lhe dado em depósito tudo o que tendes de bom para dar ou guardar, confiareis menos em vós e muito mais nela, que é vosso tesouro. Oh! que confiança e consolação para uma alma poder chamar também seu o tesouro de Deus, onde Deus depositou o que tem de mais precioso! “Ipsa est thesaurus Domini – Ela é, diz um santo, o tesouro do Senhor”.[83]
 
 
 
 
 
 
 
 

in Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem Maria
 

LITURGIA DIÁRIA 18 DE MAIO DE 2018. VII SEMANA DA PÁSCOA.

 

 

 


VII SEMANA DA PÁSCOA
(Branco, Prefácio da Ascensão – Ofício do dia)


Antífona de entrada
Cristo nos amou e nos lavou dos pecados com seu sangue, e fez de nós um reino e sacerdotes para Deus, seu Pai, aleluia! (Ap 1,5s)

Oração do Dia

Ó Deus, pela glorificação de Cristo e pela iluminação do Espírito Santo, abristes para nós as portas da vida eterna. Fazei que, participando de tão grandes bens, nos tornemos mais dedicados ao vosso serviço e cresçamos constantemente na fé. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.





 
 
 
 
 
 
 
 
 


1a Leitura - Atos 25,13-21
Leitura dos Atos dos Apóstolos.



Alguns dias depois, 25 13 o rei Agripa e Berenice desceram a Cesaréia para saudar Festo.
14 Como se demorassem ali muitos dias, Festo expôs ao rei o caso de Paulo: "Félix deixou preso aqui um certo homem.
15 Quando estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus vieram queixar-se dele comigo pedindo a sua condenação.
16 Respondi-lhes que não era costume dos romanos condenar homem algum, antes de ter confrontado o acusado com os seus acusadores e antes de se lhes dar a liberdade de defender-se dos crimes que lhes são imputados.
17 Compareceram aqui. E eu, sem demora, logo no dia seguinte, dei audiência e ordenei que conduzissem esse homem.
18 Apresentaram-se os seus acusadores, mas não o acusaram de nenhum dos crimes de que eu suspeitava.
19 Eram só desavenças entre eles a respeito da sua religião, e uma discussão a respeito de um tal Jesus, já morto, e que Paulo afirma estar vivo.
20 Vi-me perplexo quanto ao modo de inquirir essas questões e perguntei-lhe se queria ir a Jerusalém e ser ali julgado.
21 Mas, como Paulo apelou para o julgamento do imperador, mandei que fique detido até que o remeta a César".
Palavra do Senhor.








 


Salmo - 102/103
O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.

Bendize, ó minha alma, ao Senhor,
e todo o meu ser, seu santo nome!
Bendize, ó minha alma, ao Senhor,
não te esqueças de nenhum de seus favores!

Quanto os céus por sobre a terra se elevam,
tanto é grande o seu amor aos que o temem;
quanto dista o nascente do poente,
tanto afasta para longe nossos crimes.

O Senhor pôs o seu trono lá nos céus,
e abrange o mundo inteiro seu reinado.
Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos,
valorosos que cumpris as suas ordens.


Evangelho - João 21,15-19
Aleluia, aleluia, aleluia.



O Espírito Santo, o paráclito, haverá de lembrar-vos de tudo o que tenho falado (Jo 14,26).
      



Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.



21 15 Tendo eles comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, amas-me mais do que estes?" Respondeu ele: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Apascenta os meus cordeiros".
16 Perguntou-lhe outra vez: "Simão, filho de João, amas-me?" Respondeu-lhe: "Sim, Senhor, tu sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Apascenta os meus cordeiros".
17 Perguntou-lhe pela terceira vez: "Simão, filho de João, amas-me?" Pedro entristeceu-se porque lhe perguntou pela terceira vez: "Amas-me?", e respondeu-lhe: "Senhor, sabes tudo, tu sabes que te amo". Disse-lhe Jesus: "Apascenta as minhas ovelhas.
18 Em verdade, em verdade te digo: quando eras mais moço, cingias-te e andavas aonde querias. Mas, quando fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres".
19 Por estas palavras, ele indicava o gênero de morte com que havia de glorificar a Deus. E depois de assim ter falado, acrescentou: Segue-me!

Palavra da Salvação.







 

13 de maio de 2018

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - HOMENAGEM DO ALBERTO ARAÚJO & AMIGOS.

 

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
 ORAÇÃO A NOSSA SENHORA DE FÁTIMA
 
 
 
 
Santíssima Virgem, que nos montes de Fátima
vos dignastes revelar aos três pastorinhos
os tesouros de graças que podemos alcançar,
rezando o santo rosário,
ajudai-nos a apreciar sempre mais
esta santa oração, a fim de que,
meditando os mistérios da nossa redenção,
alcancemos as graças que
insistentemente, vos pedimos (pedir a graça).
 
Ó meu bom Jesus, perdoai-nos,
livrai-nos do fogo do inferno,
levai as almas todas para o céu e socorrei principalmente
as que mais precisarem.
 
Nossa Senhora do Rosário de Fátima,
rogai por nós.
 
 
 
 
 
 
 
 
Segundo as memórias da Irmã Lúcia, podemos dividir a mensagem de Fátima em três ciclos: Angélico, Mariano e Cordimariano.

O Ciclo Angélico se deu em três momentos: quando o anjo se apresentou como o Anjo da Paz, depois como o Anjo de Portugal e, por fim, o Anjo da Eucaristia.

Depois das aparições do anjo, no dia 13 de maio de 1917, começa o Ciclo Mariano, quando a Santíssima Virgem Maria se apresentou mais brilhante do que o sol a três crianças: Lúcia, 10 anos, modelo de obediência e seus primos Francisco, 9, modelo de adoração e Jacinta, 7, modelo de acolhimento.

Foram três humildes pastores, filhos de famílias pobres, simples e profundamente católicas, os mensageiros escolhidos por Nossa Senhora. Lúcia, a mais velha, tinha dez anos, e os primos, Francisco e Jacinta, nove e sete anos respectivamente. Os três eram analfabetos.
 
 
 
 
 

Contam as crianças que brincavam enquanto as ovelhas pastavam. Ao meio-dia, rezaram o terço. Porém rezaram à moda deles, de forma rápida, para poder voltar a brincar. Em vez de recitar as orações completas, apenas diziam o nome delas: "ave-maria, santa-maria" etc. Ao voltar para as brincadeiras, depararam com a Virgem Maria pairando acima de uma árvore não muito alta. Assustados, Jacinta e Francisco apenas ouvem Nossa Senhora conversando com Lúcia. Ela pede que os pequenos rezem o terço inteirinho e que venham àquele mesmo local todo dia 13 de cada mês, desaparecendo em seguida. O encontro acontece pelos sete meses seguintes.

As crianças mudam radicalmente. Passam a rezar e a fazer sacrifícios diários. Relatam aos pais e autoridades religiosas o que se passou. Logo, uma multidão começa a acompanhar o encontro das crianças com Nossa Senhora.

Na Cova da Iria aconteceram seis aparições de Nossa Senhora do Rosário.
 
 
 

                        (local da 1ª Aparição do Anjo)



 A sexta, sendo somente para a Irmã Lúcia, assim como aquelas que ocorreram na Espanha, compondo o Ciclo Cordimariano.

Algumas características em todos os ciclos: o mistério da Santíssima Trindade, a reparação, a oração, a oração do Santo Rosário, a conversão, a consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria. Enfim, por intermédio dos Pastorinhos, a Virgem de Fátima nos convoca à vivência do Evangelho, centralizado no mistério da Eucaristia. A mensagem de Fátima está a serviço da Boa Nova de Nosso Senhor Jesus Cristo.


Em agosto, devido às perseguições que os Pastorinhos estavam sofrendo por causa da mensagem de Fátima, a Virgem do Rosário não pôde mais aparecer para eles na Cova da Iria. No dia 19 de agosto ela aparece a eles então no Valinhos.

A pressão das autoridades sobre os meninos era intensa, pois somente eles viam a Virgem Maria e depois contavam as mensagens recebidas, até mesmo previsões para o futuro, as quais foram reveladas nos anos seguintes e, a última, o chamado "terceiro segredo de Fátima", no final do segundo milênio, provocando o surgimento de especulações e histórias fantásticas sobre seu conteúdo. Agora divulgado ao mundo, soube-se que previa o atentado contra o papa João Paulo II, ocorrido em 1981.

Na época, muitos duvidavam das visões das crianças. As aparições só começaram a ser reconhecidas oficialmente pela Igreja na última delas, em 13 de outubro, quando sinais extraordinários e impressionantes foram vistos por todos no céu, principalmente no disco solar. Poucos anos depois, os irmãos Francisco e Jacinta morreram. A mais velha tornou-se religiosa de clausura, tomando o nome de Lúcia de Jesus, e permaneceu sem contato com o mundo por muitos anos.

O local das aparições de Maria foi transformado num santuário para Nossa Senhora de Fátima. Em 1946, na presença do cardeal representante da Santa Sé e entre uma multidão de católicos, houve a coroação da estátua da Santíssima Virgem de Fátima. Em 13 de maio de 1967, por ocasião do aniversário dos cinquenta anos das aparições de Fátima, o papa Paulo VI foi ao santuário para celebrar a santa missa a mais de um milhão de peregrinos que o aguardavam, entre eles irmã Lúcia de Jesus, a pastora sobrevivente, que viu e conversou com Maria, a Mãe de Deus.
 A Virgem Maria nos convida para vivermos a graça e a misericórdia.

A mensagem de Fátima é dirigida ao mundo, por isso, lá é o Altar do Mundo.
Expressão do Coração Imaculado de Maria que, no fim, irá triunfar é a jaculatória ensinada por Lúcia: "Ó Meu Jesus, perdoai-nos e livrai-nos do fogo do Inferno, levai as almas todas para o Céu; socorrei principalmente as que mais precisarem!"
 
 
No dia 5 de maio de 1917, o mundo ainda vivia os horrores da Primeira Guerra Mundial, então o papa Bento XV convidou todos os católicos a se unirem em uma corrente de orações para obter a paz mundial com a intercessão da Virgem Maria. Oito dias depois ela respondeu à humanidade através das aparições em Fátima, Portugal.

As mensagens trazidas por ela pediam ao povo orações, penitências, conversão e fé.

Esta mensagem de Fátima foi um apelo à conversão, alertando a humanidade para não travar a luta entre o bem e o mal deixando Deus de lado, pois não conseguirá chegar à felicidade, pois, ao contrário, acabará destruindo-se a si mesma. Na sua solicitude materna, a Santíssima Virgem foi a Fátima pedir aos homens para não ofender mais a Deus Nosso Pai, que já está muito ofendido.
 
Foi a dor de mãe que a fez falar, pois o que estava em jogo era a sorte de seus filhos.
 
Por isso ela sempre dizia aos pastorzinhos:
 
"Rezai, rezai muito e fazei sacrifícios pelos pecadores, que vão muitas almas para o inferno por não haver quem se sacrifique e peça por elas".
 
 

 ​(interior da Basílica)
 
 

NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, ROGAI POR NÓS!

 
  (vista frontal da Basílica) 
 
 
    PROCISSÃO DAS VELAS
 
 

 

CAPELA DAS APARIÇÕES

 
 
 
 
 
Mensagem de Fátima - Orações


 
Orações do Anjo
 
 
“Meu Deus, eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão para os que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam".
 
"Santíssima Trindade, Pai, Filho e Espírito Santo, adoro-vos profundamente e ofereço-vos o preciosíssimo Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo, presente em todos os sacrários da terra, em reparação dos ultrajes, sacrilégios e indiferenças com que Ele mesmo é ofendido. E pelos méritos infinitos do Seu Santíssimo Coração e do Coração Imaculado de Maria, peço-Vos a conversão dos pobres pecadores”.
 
 
Oração de Nossa Senhora
 
 
A vidente Lúcia (Irmã Lúcia) conta na 4.ª Memória (livro da autoria da Irmã Lúcia) que Nossa Senhora em 13 de Julho de 1917 recomendou:
 
“Sacrificai-vos pelos pecadores e dizei muitas vezes, em especial sempre que fizerdes algum sacrifício: Ó Jesus, é por Vosso amor, pela conversão dos pecadores e em reparação pelos pecados cometidos contra o Imaculado Coração de Maria!”
 
Na mesma aparição, Nossa Senhora acrescentou:
 
“Quando rezais o terço, dizei depois de cada mistério: Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno; levai as almas todas para o Céu, principalmente as que mais precisarem”.
 
 
 
Consagração a Nossa Senhora
 
 
 
 
Ó Senhora minha, ó minha Mãe, eu me ofereço todo(a) a Vós, e em prova da minha devoção para convosco, Vos consagro neste dia e para sempre, os meus olhos, os meus ouvidos, a minha boca, o meu coração e inteiramente todo o meu ser.
 
E porque assim sou Vosso(a), ó incomparável Mãe, guardai-me e defendei-me como propriedade vossa.
 
Lembrai-Vos que Vos pertenço, terna Mãe, Senhora Nossa.
 
Ah, guardai-me e defendei-me como coisa própria Vossa 

Consagração ao Coração Imaculado de Maria
 
 
 
 
Virgem Maria, Mãe de Deus e nossa Mãe, ao Vosso Coração Imaculado nos consagramos, em ato de entrega total ao Senhor. Por Vós seremos levados a Cristo. Por Ele e com Ele seremos levados ao Pai. Caminharemos à luz da fé e faremos tudo para que o mundo creia que Jesus Cristo é o Enviado do Pai.
 
Com Ele queremos levar o Amor e a Salvação até aos confins do mundo. Sob a proteção do Vosso Coração Imaculado seremos um só povo com Cristo. Seremos testemunhas da Sua ressurreição. Por Ele seremos levados ao Pai, para glória da Santíssima Trindade, a Quem adoramos, louvamos e bendizemos.
 
Amém.
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 


6 de maio de 2018

CELEBRAÇÃO CATÓLICA EM 13 DE MAIO, DIA CONSAGRADO À NOSSA SENHORA DE FÁTIMA, NA PARÓQUIA SÃO JUDAS TADEU EM ICARAÍ, NITERÓI. A PARTIR DAS 17 HORAS.

 
 
 
 
VEJA A PROGRAMAÇÃO
NO BANNER ABAIXO
 
 
 
 
 
 
 
UM POUCO SOBRE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA



 
Nossa Senhora de Fátima (ou formalmente, Nossa Senhora do Rosário de Fátima) é uma das invocações marianas atribuídas à Virgem Maria e que surgiu com base nos relatos das aparições reportadas por três pastorinhos no lugar da Cova da Iria, na freguesia de Fátima, em Portugal.
 
 
 
 
 
 

 

De acordo com os testemunhos das três crianças videntes de Nossa Senhora, a primeira aparição da Virgem Maria terá ocorrido no dia 13 de maio de 1917 e o fenômeno repetiu-se durante seis meses seguidos, sempre no dia 13 (excetuando-se o mês de agosto, em que ocorreu a dia 19), até 13 de outubro de 1917.

 
 
 
 
 
 
 
A aparição mariana identificou-se como sendo "a Senhora do Rosário", tendo sido, por esse motivo, feita eclesiasticamente a combinação dos seus dois títulos e o que deu origem a Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Segundo os relatos, a mensagem que a Virgem Maria apresentou em Fátima foi, na verdade, um insistente pedido de oração, nomeadamente, a oração do Santo Rosário.
 
 



 


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
 
O seu principal local de devoção é o próprio Santuário de Fátima, situado na cidade homônima, no conselho de Ourém, em Portugal .
********************************************
 
 
 
 
PARÓQUIA SÃO JUDAS TADEU
Endereço: Avenida Ary Parreiras, s/n° – Icaraí
Niterói/RJ/Brasil

 
Telefone: (21) 3378-2810 e (21) 2610-1232
E-mail
 
 
 
 
HISTÓRIA
 
 
 
Quem seguir a orla marítima de Icaraí vai alcançar, no final da praia, esquina com a Avenida Almirante Ary Parreiras s/n° e a Rua Joaquim Távora, um templo católico, que logo chama a atenção por suas características diferentes das de todos os outros na cidade de Niterói. Foi o primeiro em linhas modernas.

 
É dedicado a São Judas Tadeu, apóstolo de Jesus Cristo e seu primo de sangue, e leva já o privilégio de se localizar “num dos recantos mais belos do mundo”, na expressão do padre Abílio Real Martins, seu primeiro vigário.

 
Sua construção urgia para atender às necessidades da paróquia recentemente, criada, numa época de muita contestação. Não escapava a Igreja. O empenho estava em descobrir injustiças para denuncia-las. Incluía-se aí, então, o que parecia a alguns um grande contraste – a suntuosidade de algumas igrejas e a pobreza tão sofrida.


 
Era também sua hora, pensava o padre. Já precisava apelar… Dinheiro! E o pedia. Para quê? Fazer igreja…

 
Só que fazia questão de levar ao conhecimento dos Fiéis e devotos, e lhes repetia com frequência e muita clareza, seus propósitos: “a igreja não seria luxuosa, queria-a, sim, funcional, de material durável, simples e, se possível, bela. Belo não quer dizer rico e caro”, dizia. Seu sonho: “dar um marco arquitetônico ao local nobre de Icaraí”. Deveria, ainda, no seu conjunto, fazer sobressair um marcante e proposital contraste – o despojamento do seu interior. Era o que convinha à época e ao ambiente, destinado ao recolhimento e à prece.


 
Estas ideias vinham delineadas na competência artística de seu amigo e arquiteto Manuel da Silva Machado, que lhe ofereceu três projetos de construção. Optou pelo terceiro, por achar que correspondia ao seu conceito de arte sacra.

 




 
Mons. Abílio e as fundações

 
Desde aquela hora aliaram-se a formação litúrgica do pastor e a inteligência do arquiteto para a execução do projeto de 1960, aprovado em 29.10.1962 e reaprovado em 14.02.1963, e que traz até hoje características de modernidade.


 
A hora decisiva de começar a obra chegou em 1969, e, com ela, surpresas penosas e positivas que ficam para a história.

 
Que Deus a queria, era uma certeza. Os acontecimentos o confirmavam, e São Judas, por que não dizer, estava de olho nela…

 
Então, adiante! Os recursos técnicos superaram os tropeços políticos e o arquiteto determinou como preservar o canal de Icaraí, pretexto para tantas “negaças” na opinião dos responsáveis. Escolheu três pontos fora dele para suportar o peso da cúpula, e disso resultou a igreja de forma triangular.

 
Ora, o triângulo é a figura geométrica utilizada para simbolizar a Verdade que deseja revelar-nos o mistério central da fé e da vida cristã – há um só Deus, em três pessoas distintas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.

 
A presença de tal simbolismo se conforma de Várias maneiras.

 
Em 1980, a ENITUR (Empresa Niteroiense de Turismo) solicitou do padre Abílio Real Martins informações sobre a moderna arquitetura, já em destaque. Em resposta, ele assim se expressa: ‘… Daí sua forma triangular que, pela pureza geométrica, inculca ao vivo a simplicidade de Deus e das coisas do espírito. Esta forma una, simples, rígida e indeformável exprime com felicidade a Unidade e a Trindade de Deus”. E acrescenta: “As projeções da cúpula desenham a estrela-de-davi que, vista de cima, forma um hexágono regular. Pode-se notar assim, sem maior esforço, uma insinuação da estreita ligação da Nova com a Antiga Aliança. A torre obedece ao mesmo espírito formal em base triangular, com duas faces triangulares planas e duas faces verticais hiperbólicas”.

 
Pelo que se pode observar, ainda, as peças de cultura artesanal que se juntam em sequências diversas para revestir o templo se apresentam moldadas em formas triangulares.


 
Chega-se, então, a depreender dessa moderna forma arquitetural da igreja uma perene evocação a Santíssima Trindade.

 
Seu interior veio sóbrio de decoração e de imagens – o Cristo Crucificado, uma imagem de Nossa Senhora e outra do padroeiro (de autoria de Julio Espinosa, mais condizente com o estilo da igreja, mas já substituída por outra de tipo tradicional).


 
Na sobriedade, porém, a beleza artística da lateral da chamada Capela de São Judas, decorada com o itinerário de suas viagens para evangelizar a partir da Ceia do Senhor, trabalho exclusivo do artista espanhol Julio Espinosa.

 
Do mesmo autor, de excepcional beleza ficou o painel da entrada. A alguns passos da grade de ferro que fecha o templo, mediando duas portas – entrada e saída – uma parede de cor dourada, artesanalmente trabalhada. Nela, vazadas do exterior para dentro, letras fechadas ao fundo por transparências coloridas que, ao receberem a luz vinda do interior da igreja, como que se acendiam e deixavam à leitura dos passantes, em cores vivas, a inscrição latina “In honorem Sacti Judae’ (Em honra de São Judas). Sem dúvida, talvez a mais original identificação de um templo.


 
Como não poderia deixar de ser, um novo templo é sempre mais uma fonte de evangelização. Portanto, era mais um centro de irradiação donde partiria, para todas as direções da paróquia, a proclamação da Palavra de Deus. Julio Espinosa o entendeu assim e quis deixar também expressa esta ideia. Aproveitou-a para decorar exteriormente a igreja, esculpindo em toda a extensão de sua fachada as figuras simbólicas dos quatro evangelistas: São Mateus, São Marcos, São Lucas e São João.


 
É de se notar ainda a presença de uma rampa que tem mais importância do que à primeira vista se pode imaginar. Dá acesso a um terraço em torno da cúpula, que em sua base deixou espaços abertos para o interior da igreja, fechados, depois, por vidros.

 
Dizia-se, inicialmente, que através destes os fiéis, posicionados no terraço, poderiam acompanhar atos do culto. Esta previsão, se houve, não chegou a ser praticada.

 
Tal rampa possibilita alcançar o terraço, que tem prerrogativas de um mirante, por ser um local privilegiado de convergência e observação dos prédios da praia, da Baía de Guanabara e da cidade do Rio de Janeiro.


 

 
 
 

Nave central


 
Concluída a igreja, assim ficou, segundo as informações passadas a ENITUR em 1980: “Compõe-se a igreja de uma nave circular, com raio de doze metros, para quinhentas pessoas sentadas. Foi estudada circunscrevendo os três pilares (ocultos) por ser a mais indicada para comportar tal número de pessoas. Dispõe de um auditório para duzentas pessoas, de um salão de cumprimentos e outro menor para pequenas reuniões, um conjunto de três salas de aula, uma sacristia espaçosa, sala de recepção, outra de atendimento, secretaria e outras dependências, além de um pequeno apartamento. Sem prejuízo da estética foi planejada também uma garagem”.

 
Esta composição foi a original, já alterada à medida das necessidades que foram surgindo. Vale, no entanto, a lembrança, para valorização do empreendimento em circunstâncias tão adversas que nos dá sua história.

 
E assim se ergueu em Icaraí este “marco arquitetônico, sem agredir a paisagem e as residências dos paroquianos”.

 
É ainda justo e gratificante ressaltar que tudo isto se fez com dinheiro só dos paroquianos, dos devotos de São Judas e dos amigos…

 
A maior importância, porém, fica com o templo espiritual, de pedras vivas, projetado no coração de seu pastor e que, simultaneamente com o templo material, se foi edificando nas linhas do Evangelho durante todo o tempo de seu vicariato. Ele é a comunidade de São judas que nasceu com a paróquia, foi crescendo em formação cristã que lhe chegava por vários meios, e principalmente pelo ESCUTA, órgão paroquial onde fiel e semanalmente, publicava seus artigos o seu fundador, padre Abílio Real Martins.


 
Esta construção não se acabou nem se acaba. Cresce sempre como o quer o Mestre. É a Igreja de Cristo. Um sinal de solidariedade e comunhão. Um centro de vida religiosa, cultural e social.”






 
Extraído do livro Nascimento de uma Paróquia de Maria de Lourdes Carpi.
 
 
 







 
 
VISITE AO SITE