5 de outubro de 2017

KAZUO ISHIGURO GANHA PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA 2017. SAIBA QUEM É ELE.


A Academia Sueca  anunciou nesta quinta-feira (05 de outubro de 2017) os vencedores do Prêmio Nobel de 2017.
 
O escritor nipo-britânico Kazuo Ishiguro foi anunciado como o ganhador do Prêmio Nobel de Literatura 2017. Suas obras estão ligadas à memória, tempo e auto-ilusão.
 
Kazuo, de 62 anos, romancista conhecido por obras como Não me Abandone Jamais (2005) e Os Vestígios do Dia (1989).

 
 

 
 
Em sua justificativa, a porta-voz da Academia, Sara Danius explicou: “Ele trabalha com o passado, mas não de uma maneira proustiana. É mais como esquecer para se manter vivo”. Quando questionada se a escolha deste ano era menos controversa, já que no ano passado o prêmio elegeu pela primeira vez um músico pop, Bob Dylan, que o desprezou de maneira até ostensiva, Sara se limitou a defender Ishiguro dizendo que “ele é um grande romancista”.
 
Depois de ser premiado, em 1989 com o Man Booker Prize, Kazuo Ishiguro teve mais de 1 milhão de livros vendidos. No Brasil, Ishiguro tem pelo menos cinco livros lançados pela Companhia das Letras, como O Gigante Enterrado (2015), Não me Abandone Jamais (2016) e Os Vestígios do Dia (2016). Esse último ainda virou filme em 1993, com Anthony Hopkins e Emma Thompson. Além da seleção de contos de "Noturnos: Histórias de música e anoitecer" (2009).
 
 Os vestígios do dia (1989), ganhou o Man Booker Prize, e a ficção científica Não me abandone jamais (2005), ambos adaptados ao cinema.


À BBC, Ishiguro afirmou: "O mundo está em um momento muito incerto, e eu gostaria que o Prêmio Nobel desse impulso a algo positivo no planeta neste momento. Ficaria profundamente emocionado se eu, pudesse, de alguma forma, contribuir em algum nível com uma atmosfera positiva nestes tempos de incerteza".

Na entrevista à rede britânica, o escritor admitiu que ainda não tinha sido contado pelo comitê do Nobel e que não tinha certeza se tudo não passava de uma farsa. Ele disse que ganhar o Prêmio Nobel é "uma honra magnífica, principalmente orque isso signita que estou seguindo as pegadas dos maiores autores que já viveram, então é uma conquista excelente".
 
A Academia Sueca, responsável pelo Nobel, informou em comunicado que Ishiguro recebeu o prêmio porque "em seus romances de grande força emocional, revelou o abismo sob nossa sensação ilusória de conexão com o mundo".

Ao fazer o anúncio do prêmio a Ishiguro, secretária-permanente da Academia Sueca, Sara Danius, destacou que o autor retrata em seus livros temas como: memória, passagem do tempo e autoilusão.
 
 


 
 
 
Kazuo Ishiguro nasceu em Nagasaki, Japão, em 08 de novembro de 1954, é um escritor nipo-britânico.

 

O romancista Kazuo Ishiguro nasceu em Nagasaki, Japão, mas aos seis anos emigrou com a família para a Inglaterra. Os seus pais planejavam voltar ao seu país, mas por diversas circunstâncias foram ficando, e Kazuo cresceu sobre a influência das duas culturas. Na sua adolescência sonhava ser um músico, actuando em vários clubes e enviando gravações a várias editoras. Sendo rejeitado por estas, e não tendo futuro com a música, decide dedicar-se à escrita. Estudou nas universidades de Kent e East Anglia, no curso de "escrita criativa" que o escritor Malcolm Bradbury estabeleceu e no qual era ainda professor. Ishiguro define-se como sendo um escritor que deseja escrever novelas internacionais.
 
Antes de escrever os seus aclamados romances, Ishiguro publicou vários contos e artigos em revistas, na década de 1980.
 
Neste ano de 2017 foi laureado com o prêmio Nobel de Literatura por "em novelas de grande força emocional, ter revelado o abismo sob o nosso ilusório sentido de conexão com o mundo". A sua obra foi traduzida em mais de 28 países.
 

   
OBRAS
 

FICÇÃO (romances/novelas)

(1982) Uma pálida visão dos montes (Brasil)

(1986) Um artista do mundo flutuante (Brasil)

(1989) Os vestígios do dia (Brasil)
(1995) O Inconsolável (Brasil)
(2000) Quando Éramos Órfãos
(2005) Não me abandone jamais (Brasil)

(2015) O Gigante Enterrado (Portugal)
 


CONTOS

(1981) "A Strange and Sometimes Sadness", "Waiting for J" e "Getting Poisoned" - 3 contos publicados em Introduction 7: Stories by New Writers da editora Faber anda Faber.
(1982) Uma ceia em Família (Brasil)  
(2009) Noturnos: Cinco Histórias Sobre Música e o Cair da Noite.


ROTEIROS PARA CINEMA

(2003) A Canção mais triste do Mundo

(2005) A Condessa Russa.

 
 
 
 
 
 
 
 
 

FONTE
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário